Na Natureza Selvagem

Na Natureza Selvagem

Sabe aqueles filmes que só passam nas salas da rede Espaço Unibanco, ficam poucas semanas em cartaz e, quando saem em DVD, viram fenômendo cult? Esse é um deles!

As duas horas e meia de emoção, reflexão e aventura de “Na Natureza Selvagem” (Into the Wild, 2007), com sua fotografia impecável e trilha sonora envolvente, são como uma injeção de wanderlust direto no coração.

O filme conta a história de Christofer McCandless (a.k.a Alexander Supertramp) que, após concluir a universidade, doa todas as suas economias para caridade, põe uma mochila nas costas e parte numa viagem a pé pelos Estados Unidos, rumo ao Alaska, onde pretende viver sem dinheiro, em meio a natureza selvagem.

Achou interessante mas ainda não animou de assistir? Então dê uma lida rápida na excelente crítica que o Felipe Brida, do e-Pipoca, fez sobre “Na Natureza Selvagem“.

Gostou da crítica mas ainda não se convenceu?

Então dá só uma ouvidinha na trilha sonora criada e interpretada por Eddie Vedder (vocalista do Pearl Jam).

Agora foi, né?

Mais informações no website oficial do filme e no IMDB.

PS: Depois de assistir o filme, me diga se o diálogo entre Ron Franz (Hal Holbrook) e Chris McCandless (Emile Hirsch) não é a cena mais tocante do cinema nos últimos… sei lá… dez anos!

Anúncios

4 Responses to “Na Natureza Selvagem”


  1. 1 Nayana Dessupoio de Abreu 09/12/2008 às 7:25 PM

    No início senti muita raiva do Chris (Alex, né?), mas acabei em lágrimas por conta dele, principalmente na hora da despedida com o velhinho viúvo. A conclusão que ele chegou no final é uma coisa em que acredito demais, acho que por isso fiquei com tanta raiva daquela arrogância do início disfarçada de auto-suficiência…
    Recomendo demais o filme!
    To baixando a trilha sonora que achei fantástica!

  2. 2 Sidnei Sousa 08/06/2011 às 9:51 PM

    Nunca assisti ao filme, nem sabia de sua existência. O espírito wanderlust me leva a querer saber mais e mais sobre o que é tê-lo. Sinto-me fascinado por ele, mas o percebo distante de mim. Assistirei ao filme, a trilha sonora é bem legal, a história parece enriquecedora e surpreendente. Senti-me motivado a assisti-lo.
    Sidnei Sousa


  1. 1 Pilha de livros para novembro de 2008 « Dois Espressos Trackback em 05/11/2008 às 12:26 PM
  2. 2 The National: Boxer (Joy Division + Interpol) « Dois Espressos Trackback em 13/12/2008 às 7:39 PM

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




RSS Dois Espressos   Twitter Dois Espressos   Vídeos Dois Espressos   Fotos Dois Espressos
Músicas Dois Espressos   Links Dois Espressos   Locais Dois Espressos   GReader Dois Espressos
Facebook Dois Espressos   Livros de Dois Espressos   Corridas de Dois Espressos

Última corrida

Corridas

Fotos recentes

Mais fotos

Últimos Tweets

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Última nota do Moleco

" (...) Quanto a mim, a base de minha vida vai ser uma fazenda em algum lugar onde vou produzir parte de minha própria comida, e, se necessário, toda ela. Um dia não vou fazer coisa alguma além de sentar embaixo de uma árvore para ver minha lavoura crescer (depois do trabalho devido, claro) -- e beber vinho caseiro, e escrever romances para edificar meu espírito, e brincar com meus filhos, e relaxar, e gozar a vida, e brincar, e assoar o nariz. (...) Vou viver a vida do meu jeito 'preguiçoso coisa ruim', é isso o que vou fazer."

Diário de Jack Kerouac, 23 de agosto de 1948.
Molecos Viajantes

Últimos links del.icio.us


%d blogueiros gostam disto: