Pilha de livros para novembro de 2008

Livros

Formas da Crise, André Bueno.

Coiote, Roberto Freire. (releitura)

Na Natureza Selvagem, John Krakauer. (história que já citei aqui)

Rio Botequim, Guilherme Studart.

__________

Veja a pilha de livros de outubro de 2008.

Anúncios

4 Responses to “Pilha de livros para novembro de 2008”


  1. 1 Marcelo Figueiredo Duarte 06/11/2008 às 6:36 AM

    Na Natureza Selvagem é muito bom. Li faz pouco tempo. Mas tu consegue ler quatro livros por mês?

  2. 2 mrprawiro 06/11/2008 às 8:31 AM

    São livros pequenos… umas 200 e poucas páginas cada um. Lendo 30 páginas por noite (o que é um ritmo nem tranquilo) eu termino com folga. Além disso ainda tenho as 2h30 de viagem de ônibus que costumo fazer para visitar minha avó. Só nisso já vão mais de 100 páginas.

  3. 3 Lara 07/11/2008 às 10:12 AM

    Espero(amorosamente)que você se angustie ao ler Coiote ao som de sirenes de ambulância dessa bela cidade, como eu me angustiei.E que nos mudemos logo para Maromba.


  1. 1 Pilha de livros para dezembro de 2008 « Dois Espressos Trackback em 09/12/2008 às 11:48 AM

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




RSS Dois Espressos   Twitter Dois Espressos   Vídeos Dois Espressos   Fotos Dois Espressos
Músicas Dois Espressos   Links Dois Espressos   Locais Dois Espressos   GReader Dois Espressos
Facebook Dois Espressos   Livros de Dois Espressos   Corridas de Dois Espressos

Última corrida

Corridas

Fotos recentes

Últimos Tweets

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Última nota do Moleco

" (...) Quanto a mim, a base de minha vida vai ser uma fazenda em algum lugar onde vou produzir parte de minha própria comida, e, se necessário, toda ela. Um dia não vou fazer coisa alguma além de sentar embaixo de uma árvore para ver minha lavoura crescer (depois do trabalho devido, claro) -- e beber vinho caseiro, e escrever romances para edificar meu espírito, e brincar com meus filhos, e relaxar, e gozar a vida, e brincar, e assoar o nariz. (...) Vou viver a vida do meu jeito 'preguiçoso coisa ruim', é isso o que vou fazer."

Diário de Jack Kerouac, 23 de agosto de 1948.
Molecos Viajantes

Últimos links del.icio.us


%d blogueiros gostam disto: