As mudanças que chegam com o Outono

Hoje começa astronomicamente a estação que, pra mim, é disparada a melhor de todas: o Outono. Nele temos dias mais bonitos, um friozinho que vem chegando tímido, menos chuvas, ar mais puro e um sol que não queima tanto. Os agasalhos e aparelhos de chá começam a sair dos armários e no iPod as músicas ficam mais tranquilas. Acima de tudo, o Outono traz consigo a melhor fruta do mundo: o caqui!

Por aqui, além da mudança de estação, outras mudanças ocorrerão. Começo a contar os detalhes na segunda-feira. Hoje vou para a rua curtir o sol e o cheiro inconfundível da brisa do Outono.

“…dias maravilhosos em que os jornais vêm cheios de poesia… e do lábio do amigo brotam palavras de eterno encanto… dias mágicos… em que os burgueses espiam, através das vidraças de seus escritórios, a graça gratuita das nuvens.”

(Mário Quintana)

_______________
Post editado inteiramente no iPhone.

Anúncios

2 Responses to “As mudanças que chegam com o Outono”


  1. 1 mark 22/03/2009 às 1:24 PM

    falar em iphone conseguiu resolver o problema

    abraço


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




RSS Dois Espressos   Twitter Dois Espressos   Vídeos Dois Espressos   Fotos Dois Espressos
Músicas Dois Espressos   Links Dois Espressos   Locais Dois Espressos   GReader Dois Espressos
Facebook Dois Espressos   Livros de Dois Espressos   Corridas de Dois Espressos

Última corrida

Corridas

Fotos recentes

Últimos Tweets

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Última nota do Moleco

" (...) Quanto a mim, a base de minha vida vai ser uma fazenda em algum lugar onde vou produzir parte de minha própria comida, e, se necessário, toda ela. Um dia não vou fazer coisa alguma além de sentar embaixo de uma árvore para ver minha lavoura crescer (depois do trabalho devido, claro) -- e beber vinho caseiro, e escrever romances para edificar meu espírito, e brincar com meus filhos, e relaxar, e gozar a vida, e brincar, e assoar o nariz. (...) Vou viver a vida do meu jeito 'preguiçoso coisa ruim', é isso o que vou fazer."

Diário de Jack Kerouac, 23 de agosto de 1948.
Molecos Viajantes

Últimos links del.icio.us


%d blogueiros gostam disto: