Um não-post (apenas símbolos)

Leia atentamente a faixa que estes estudantes carregam.

alunos_es

A foto acima foi feita ontem e mostra estudantes do Ensino Médio da rede estadual de Vila Velha, no Espírito Santo, protestando contra o aumento na carga horária das aulas.

Após cerca de 1 hora escrevendo e apagando trechos do que seria um post sobre essa imagem — usando citações de Bourdieu sobre os efeitos estruturais do habitus, a lógica da distinção e o papel da escola na reprodução social — me dei conta de que escreveria um texto gigante que poderia privar o leitor do impacto simbólico que essa fotografia causou em mim.

Ao invés disso, proponho o seguinte: gaste 2 ou 3 minutos analisando essa imagem.

Observe os sorrisos… as roupas… a expressão do rapaz no canto direito, só com a cabeça aparecendo… a postura da menina que segura a faixa à direita… que sentimentos essa imagem desperta em você?

Comentários são bem-vindos e posts sobre o assunto serão linkados aqui.

(via G1)

Anúncios

8 Responses to “Um não-post (apenas símbolos)”


  1. 1 André 24/03/2009 às 12:58 PM

    Fiquei impressionado com o fato de “condições” estar escrito certo.

    Existe uma moda por aí de lançar livros do tipo “A literatura brasileira através dos textos”, ou seja, o conceito baseado na prática. A partir disso, vou intitular essa foto como “A educação brasileira através dos alunos”.

    Não que a culpa seja (só) deles, but… como você bem disse, a foto fala por si só.

    Abraços!

  2. 2 Rogério Caetano 24/03/2009 às 12:59 PM

    Cara, é melhor nem comentar. Depois vão pegar um Pro-Uni, ProJovem ou outra facilidade governamental, pq afinal eles não tiveram, ou não queriam, ter acesso a uma educação de qualidade. As vezes a democracia nos leva a esses disparates. A imagem tá meio escura no meu computador, mas de cara não dá para levar algo assim a sério.

  3. 3 Alessandro Martins 24/03/2009 às 2:01 PM

    É uma dessas perguntas que trazem em si mesmas a resposta, a do cartaz.

    No entanto, e de fato, a solução para isso não está em “almentar” a carga horária.

    Alguma dúvida da qualidade do ensino, a julgar por esse cartaz? Permanecer mais tempo com esse tipo de ensino solucionará algo?

  4. 4 Juliana Vargas Ferreira 24/03/2009 às 4:16 PM

    eu acho que é uma pergunta retórica (a do cartaz), afinal, ela mesma se responde…

  5. 5 Alex Saueressig 24/03/2009 às 6:31 PM

    Concordo com a Juliana.
    Tão óbvias as razões.

  6. 6 Ivo Lavor 26/03/2009 às 12:37 AM

    [modo Chaves on] QUER BURROS…DÁ ZERO PRA ELES[modo Chaves off]

    []´s

  7. 7 Kél 02/04/2009 às 2:59 PM

    Juro que torci (até o final do seu texto) para que escrita errada tivesse sido intencional. Que surpreendemente você disesse: “tá vendo? foi uma ironia dos alunos, uma pegadinha!”

    pegadinha mesmo é essa educação pública que temos….

    bjo

  8. 8 Gabriel 13/04/2009 às 1:01 AM

    Depois dessa bateu até uma depressão aqui no meu peito…


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




RSS Dois Espressos   Twitter Dois Espressos   Vídeos Dois Espressos   Fotos Dois Espressos
Músicas Dois Espressos   Links Dois Espressos   Locais Dois Espressos   GReader Dois Espressos
Facebook Dois Espressos   Livros de Dois Espressos   Corridas de Dois Espressos

Última corrida

Corridas

Fotos recentes

Mais fotos

Últimos Tweets

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Última nota do Moleco

" (...) Quanto a mim, a base de minha vida vai ser uma fazenda em algum lugar onde vou produzir parte de minha própria comida, e, se necessário, toda ela. Um dia não vou fazer coisa alguma além de sentar embaixo de uma árvore para ver minha lavoura crescer (depois do trabalho devido, claro) -- e beber vinho caseiro, e escrever romances para edificar meu espírito, e brincar com meus filhos, e relaxar, e gozar a vida, e brincar, e assoar o nariz. (...) Vou viver a vida do meu jeito 'preguiçoso coisa ruim', é isso o que vou fazer."

Diário de Jack Kerouac, 23 de agosto de 1948.
Molecos Viajantes

Últimos links del.icio.us


%d blogueiros gostam disto: