Pitilé (quanto mais cadernos de notas, melhor!)

Caiu por aqui (via feed MacMagazine) a notícia de mais uma alternativa nacional aos Moleskines. Agora, além dos ecológicos Molecos, temos os Pitilés, caderninhos de notas “Moleskine-like”, criados pela Bruna Richard e o Fabiano Abreu, bem parecidos com os produzidos pela Corrupiola (já citada por aqui).

Pitilé

Os Pitiléscom preços que variam entre R$10 e R$23 — têm formato 9cm x 14cm e 64 páginas em papel Pólen Soft 80g, com capas que variam entre papel Color Plus 180g, papel Canson My-Teintes e tecido 100% algodão.

Para conhecer melhor o trabalho, recomendo uma olhada na galeria de fotos Pitilé, no Flickr. Quem quiser trocar idéias com a Bruna ou com o Fabiano pode também acessar o Twitter do Pitilé.

Tentarei fazer durante esse fim de semana algo que tenho adiado há algum tempo: comprar cada um desses cadernos de notas feitos a mão para fazer uma resenha mais detalhada de cada um deles. Aguardem!

_______________
UPDATE: Chegaram meus Pitilés e, agora sim, pude notar pessoalmente as curiosas semelhanças entre Pitilés e Corrupios.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




RSS Dois Espressos   Twitter Dois Espressos   Vídeos Dois Espressos   Fotos Dois Espressos
Músicas Dois Espressos   Links Dois Espressos   Locais Dois Espressos   GReader Dois Espressos
Facebook Dois Espressos   Livros de Dois Espressos   Corridas de Dois Espressos

Última corrida

Corridas

Fotos recentes

Mais fotos

Últimos Tweets

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Última nota do Moleco

" (...) Quanto a mim, a base de minha vida vai ser uma fazenda em algum lugar onde vou produzir parte de minha própria comida, e, se necessário, toda ela. Um dia não vou fazer coisa alguma além de sentar embaixo de uma árvore para ver minha lavoura crescer (depois do trabalho devido, claro) -- e beber vinho caseiro, e escrever romances para edificar meu espírito, e brincar com meus filhos, e relaxar, e gozar a vida, e brincar, e assoar o nariz. (...) Vou viver a vida do meu jeito 'preguiçoso coisa ruim', é isso o que vou fazer."

Diário de Jack Kerouac, 23 de agosto de 1948.
Molecos Viajantes

Últimos links del.icio.us


%d blogueiros gostam disto: