“O fim de toda Terra”…

“…Assim os romanos chamavam  as montanhas do Cáucaso. Essa estrada militar georgiana segue o curso dos rios Terek e do ‘negro’ Aragvi, percorrendo ravinas selvagens em meio a cumes nevados.

Temerosos do que haveria na Ásia, os romanos fecharam a garganta mais estreita com um grande muro de madeira e ferro. Foi no fértil sopé dessa cordilheira que, segundo parece, cultivaram-se as primeiras videiras e fabricou-se o primeiro vinho.”

— Hugh Johnson

_______________

Texto encontrado na página final da carta de vinhos do La Saveur de Vanille (também conhecido como “Bistrô das Meninas”), delicioso bistrô na vila de Maringá, próxima a Visconde de Mauá, na Serra da Mantiqueira.

About these ads

0 Responses to ““O fim de toda Terra”…”



  1. Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




RSS Dois Espressos   Twitter Dois Espressos   Vídeos Dois Espressos   Fotos Dois Espressos
Músicas Dois Espressos   Links Dois Espressos   Locais Dois Espressos   GReader Dois Espressos
Facebook Dois Espressos   Livros de Dois Espressos   Corridas de Dois Espressos

Última corrida

Corridas

Fotos recentes

Rave no Aquário

Nanquim, por Milo Manara

Nanquim, por Milo Manara

Nanquim, por Milo Manara

Nanquim, por Milo Manara

Nanquim, por Milo Manara

Mais fotos

Últimos Tweets

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Última nota do Moleco

" (...) Quanto a mim, a base de minha vida vai ser uma fazenda em algum lugar onde vou produzir parte de minha própria comida, e, se necessário, toda ela. Um dia não vou fazer coisa alguma além de sentar embaixo de uma árvore para ver minha lavoura crescer (depois do trabalho devido, claro) -- e beber vinho caseiro, e escrever romances para edificar meu espírito, e brincar com meus filhos, e relaxar, e gozar a vida, e brincar, e assoar o nariz. (...) Vou viver a vida do meu jeito 'preguiçoso coisa ruim', é isso o que vou fazer."

Diário de Jack Kerouac, 23 de agosto de 1948.
Molecos Viajantes

Últimos links del.icio.us


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 39 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: