Archive for the 'Listas' Category

Pilha de livros para outubro de 2010

E retomando as atividades por aqui… segue minha lista de leituras para esse mês.
Livros para outubro de 2010
1. A Memória vegetal, Umberto Eco.
2. Sociologia da Cultura, Laurent Fleury.
3. Os 100 livros que mais influenciaram a humanidade, Martin Seymour-Smith.
4. A espetacular arte de desenhar quadrinhos, Lederly Mendonça.
5. Da cor à cor inexistente, Israel Pedrosa.
_______________

Um ano lendo quadrinhos – A Lista

No post anterior, quando falei sobre minha decisão de passar 2010 lendo apenas graphic novels, esqueci de comentar que, justamente por não entender do assunto, preciso de dicas de leitura.

As primeiras recomendações vieram do Aleph Ozuas, da Corrupiola.

Coloquei os nomes dos tradutores para saber se alguém tem algum comentário. Devo ler alguma dessas histórias na versão original?

1. Umbigo sem fundo, de Dash Shaw (tradução de Érico Assis).

2. Black Hole, de Charles Burns (tradução de Daniel Pellizzari).

3. Área de segurança Gorazde: a guerra da Bosnia Oriental 1922-1995, de Joe Sacco (tradução de Sérgio Augusto Miranda).

4. Uma História de Sarajevo, de Joe Sacco (tradução de Cris Siqueira).

5. Derrotista, de Joe Sacco (tradução de Cris Siqueira).

Graphic Novels

Chegaram também as dicas do @thiroux.

6. Persépolis, de Marjane Satrapi (tradução de Paulo Werneck)

7. Fun Home, de Alison Bechdel (tradução de André Conti)

8. Maus, de Art Spiegelman (tradução de Antonio Macedo de Soares)

9. Os Supremos, de Mark Millar & Bryan Hitch (tradução de Jotape Martins e Fernando Lopes)

Graphic Novels 2

E o irmão @kadutheway recomenda.

10. From Hell, de Alan Moore (importado)

11. Batman: A piada mortal, de Alan Moore (tradução de Ideraldo Domingos)

12. 1602 – Edição Definitiva, de Neil Gaiman (tradução Helcio de Carvalho e Marcelo de Castro Bastos)

13. Fumaça e Espelhos: Contos e Ilusões, de Neil Gaiman (tradução de Claudio Blanc)

Graphic Novels 3

E então… que outras graphic novels devo ler em 2010?

_______________

NOTA: A @CarolaRodrigues mandou várias dicas, mas algumas tem uma característica meio problemática pra mim: são séries muito, muito longas. Se eu pegar, por exemplo, Lobo Solitário, que tem mais de 20 volumes, cada um com mais de 300 páginas, vou passar 2010 inteiro lendo só uma história. :)

Os quase 20 livros que li em 2009 (retrospectiva)

Inspirado na lista de 32 livros lidos pelo André Gazola, do Lendo.org, e aproveitando que faltam 15 dias para o fim do ano, vou começar minha retrospectiva com uma lista dos livros que li (ou quase li) em 2009.

Assim como o André, qualifiquei os livros usando um sistema simples de estrelas, baseado exclusivamente no meu julgamento sobre o que achei bom ou ruim (mas não leve muito a sério meus julgamentos, afinal, estamos falando de um sujeito que não gosta de Clarice Lispector).

1. O Valor do Design, Guia da ADG Brasil ★★☆☆☆
2. O testamento do trovador, de James Cowan ★★★☆☆
3. Sobre a Literatura, de Umberto Eco ★★★★☆
4. Manual do Arquiteto Descalço, de Johan Van Lengen ★★★★☆
5. E a história começa: 10 brilhantes inícios de clássicos…, de Amós Oz ★★★☆☆
6. A viagem do elefante, de José Saramago (interrompido)
7. Paris é uma festa, de Ernest Hemingway (interrompido)
8. Além da revisão – critérios para revisão textual, Aristides Coelho Neto ★★★★★
9. Memórias de minhas putas trites, de Gabriel García Márquez ★★★☆☆
10. Watchmen – Edição definitiva, de Alan Moore & Dave Gibbons ★★★★★
11. Dom Quixote de La Mancha – Vol. 2, de Miguel de Cervantes (ainda lendo)
12. Uma história da literatura, de Alberto Manguel ★★★★☆
13. Por uma gastronomia brasileira, de Alex Atala ★★☆☆☆
14. A peste, de Albert Camus ★★★★☆
15. Montanhas da mente, de Robert Macfarlane ★★★★★
16. No teu deserto, de Miguel Sousa Tavares ★★☆☆☆
17. Simplicidade voluntária, de Duane Elgin (abandonado)
18. Seis passeios pelos bosques da ficção, de Umberto Eco ★★★☆☆
19. Almanaque Armorial, de Ariano Suassuna (ainda lendo)
20. Perdidos na Toscana, de Affonso Romano de Sant’Anna (ainda por ler)

Se você leu algum(ns) dos livros e discorda da minha qualificação, gostaria de ouvir sua opinião.

Se você acha Clarice Lispector o máximo e me considera um completo idiota por não gostar dos escritos dela… sim… eu sei que sou um idiota. Ela é fantástica e eu sei exatamente o que você pensa a meu respeito. Sinto o mesmo por pessoas que não gostaram de O Engenhoso Fidalgo Dom Quixote de La Mancha.

_______________

E já que está por aqui, aproveite pra conhece meus hábitos de leitor.

UPDATE: o Felipe Arruda também montou sua lista de leituras.

Pilha de livros para dezembro de 2009

Pilha de livros dezembro 2009

Almanaque Armorial, de Ariano Suassuna (R$40, Saraiva)

Perdidos na Toscana, de Affonso Romano de Sant’Anna (R$42, Saraiva)

_______________

Veja também as pilhas de livros dos meses anteriores.

E já que está por aí, conheça também meus hábitos de leitor.

Clássicos adaptados para os quadrinhos

Costumo dizer que se a partir de hoje nenhum novo livro fosse publicado, o tempo que me resta de vida não seria suficiente para ler todos os grandes clássicos da literatura mundial. Tendo em minha relação de não lidos alguns dos livros de Dostoiévski, Kafka, Shakespeare, Faulkner, Flaubert, Garcia Márquez, Homero, Thomas Mann e Virginia Woolf, só pra citar alguns, não dá pra perder tempo lendo Stephanie Meyer ou Dan Brown.

Meu primeiro contato com os clássicos aconteceu no começo dos anos 90, quando eu tinha uns 14 anos, através de uma coleção de histórias em quadrinhos chamada Clássicos Ilustrados. Eram edições semanais com adaptações de obras clássicas como Moby DickHamlet, O Conde de Monte CristoGrandes EsperançasA Ilha do Dr. MoreauA Queda da Casa dos UsherO Morro dos Ventos UivantesA Letra EscarlateA Ilha do Tesouro e Cyrano de Bergerac (links para a versão .pdf dos quadrinhos de 1990).

Não consigo pensar numa forma melhor de despertar em crianças e adolescentes a paixão pelos grandes clássicos da literatura mundial.

Se você concorda e curte quadrinhos — principalmente adaptações de clássicos — vai gostar de saber que começou a pré-venda de “O Hobbit”, de J.R.R. Tolkien, ilustrado por David Wenzel.

Abaixo, 3 páginas de “O Hobbit” ilustrado (imagens de divulgação – clique para ampliar).

_______________

AVISO AOS LEITORES

O link da pré-venda de “O Hobbit” que aparece nesse texto é meu primeiro como integrante do Programa de Afiliados do Submarino. No entanto, a adesão a esse programa não tem como função gerar algum tipo de renda para o este blogueiro que vos fala: todo o valor arrecadado com as vendas — incluindo os valores gerados pelas compras que eu mesmo fizer — será convertido em doação de livros.

Achei que seria legal comentar.

Pilha de livros para novembro de 2009

Pilha nov/09

Montanhas da mente, de Robert Macfarlane (R$44,90, Saraiva)

No teu deserto, de Miguel Sousa Tavares (R$30, Saraiva)

Seis passeios pelos bosques da ficção, de Umberto Eco (R$36, Saraiva)

_______________

Veja também as pilhas de livros dos meses anteriores.

E já que está por aí, conheça também meus hábitos de leitor.

Chocolates até R$20 que você deveria provar

A história é a seguinte: aproveitando a idéia que surgiu enquanto eu comia um pacotinho de Raffaelo, o embalo da série de textos sobre comida e o frio que tem feito por esses dias, falemos sobre os chocolates realmente bons que se podem ser comprados com menos de R$20.

De cara já vou avisando que não sou fã de chocolates e entendo pouquíssimo do assunto. No entanto, sou defensor da idéia de que quando falamos em produtos ou marcas tradicionais, o melhor é provar tudo e conhecer todas.

Assim sendo, listei abaixo 6 dentre as melhores e mais famosas marcas “comerciais” — produzidas em grande escala — que podem ser encontradas no Brasil ou facilmente compradas pela Internet. Não são os 6 melhores chocolates do mundo, mas são, sem dúvida, superiores a maioria dos produtos fabricados por aqui.

neuhausNeuhaus (Bélgica)

Neuhaus é um dos chocolates belgas mais famosos do mundo. Começou a ser fabricado em 1857 por Jean Neuhaus, um suíço radicado na Bélgica que jurava de pés juntos ter sido o inventor do praliné (aquele “crocante”, feito com amêndoas e caramelo… sabe?).

Com lojas espalhadas por todo o mundo (de onde se pode comprar pela Internet) é relativamente fácil encontrá-lo aqui no Brasil. Essa barrinha acima, com 45g de chocolate ao leite e crocante de avelãs, sai por uns R$15.

LindtLindt & Sprüngli (Suíça)

Lindt é uma das mais antigas fábricas de chocolate da Suíça. Dos 6 chocolates dessa lista, são os mais fáceis de se encontrar por aqui (até o Submarino e a Americanas.com vendem Lindt), com preços que costumam varias entre R$10 e R$15.

Curiosidade histórica: foi Rodolphe Lindt, fundador da empresa, que em 1879 inventou a máquina para refinar chocolate. Ao misturar a pasta refinada com manteiga de cacau, Lindt criou o primeiro tablete de chocolate que derretia na boca.

Godiva2Godiva (Bélgica)

A quem diga que esse é o melhor chocolate do mundo. Não posso confirmar porque os poucos chocolates Godiva que já provei — comprados aqui no Brasil — foram produzidos na fábrica que fica na Pensilvânia, EUA, com receitas mais puxadas no açúcar para agradar os consumidores norte-americanos. Quem já provou os chocolates produzidos na fábrica da Bélgica — que abastece o mercado europeu — diz que eles são muito superiores aos dos EUA.

Fáceis de encontrar por aqui, os chocolates Godiva são também os mais caros da lista. Com menos de R$20 dá pra comprar apenas essa caixinha acima, com 4 variedades de bombons ou, em um dia de dolar baixo e muita sorte, uma das caixinhas com 4 trufas. As opções maiores (com até 36 peças) chegam facilmente aos R$150.

cluizelMichel Cluizel (França)

Contando com apenas 200 empregados a fábrica de Michel Cluizel, situada na Normandia, norte da França, é uma das últimas e raras empresas familiares que ainda produz seu próprio chocolate a partir do cacau.

Disputando com a chocolataria Valrhona o título de melhor chocolate da França, Cluizel viaja o mundo para visitar pessoalmente plantações de cacau e escolher os melhores grãos. Suas barras de chocolate amargo — cujo teor de cacau pode superar em muito os 76% que muitos consideram o limite do palatável — são minhas favoritas.

Difíceis de encontrar no Brasil (achei uma única vez no Carrefour), as barras de 100g, quando estão num bom preço, custam entre $15 e R$20. Na Internet saem por cerca de  US$7 (sem os custos de envio).

CaffarelCaffarel (Itália)

Pra encurtar a história sobre a qualidade dos chocolates Caffarel, basta dizer que foi o italiano Pierre Paul Caffarel que ensinou François Luiz Cailler — primeiro chocolateiro da Suíça, em 1819 — a fazer chocolate, e que foi ele que, em 1852, inventou a gianduia (mistura de chocolate com creme de avelã, mais conhecida hoje em dia como Nutella).

Difíceis de encontrar no Brasil, é mais fácil comprá-los pelo eBay, na loja The Chocolate Moose.

valrhonaValrhona (França)

Chocolate preferido por 9 entre 10 chefs pâtissier (incluindo o renomado confeiteiro francês Pierre Hermé), Valrhona é chamada por alguns de “Tiffany dos chocolates”. Da fábrica em Tain L´Hermitage, no Valle du Rhône (daí o nome Valrhona…) saem alguns dos chocolates mais premiados do mundo, como esse aí ao lado, o Valrhona Jivara 40%, eleito pela Academy of Chocolate como melhor chocolate ao leite do mundo em 2008.

A primeira vez que encontrei por aqui foi no Rio de Janeiro, numa importadora em Copacabana (dizem que em São Paulo é mais fácil encontrar… alguém confirma?). Nas outras vezes em que comprei achei mais prático pedir diretamente pela Internet, na The Chocolate Moose (cada barra custando algo entre US$5~US$7).

_______________

Alguma loja na sua cidade vende esses chocolates? Conhece algum outro fornecedor que envie para o Brasil? Conte-me nos comentários.


RSS Dois Espressos   Twitter Dois Espressos   Vídeos Dois Espressos   Fotos Dois Espressos
Músicas Dois Espressos   Links Dois Espressos   Locais Dois Espressos   GReader Dois Espressos
Facebook Dois Espressos   Livros de Dois Espressos   Corridas de Dois Espressos

Última corrida

Corridas

Fotos recentes

Mais fotos

Últimos Tweets

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Última nota do Moleco

" (...) Quanto a mim, a base de minha vida vai ser uma fazenda em algum lugar onde vou produzir parte de minha própria comida, e, se necessário, toda ela. Um dia não vou fazer coisa alguma além de sentar embaixo de uma árvore para ver minha lavoura crescer (depois do trabalho devido, claro) -- e beber vinho caseiro, e escrever romances para edificar meu espírito, e brincar com meus filhos, e relaxar, e gozar a vida, e brincar, e assoar o nariz. (...) Vou viver a vida do meu jeito 'preguiçoso coisa ruim', é isso o que vou fazer."

Diário de Jack Kerouac, 23 de agosto de 1948.
Molecos Viajantes

Últimos links del.icio.us