Posts Tagged 'Juiz de Fora'

Artes e Design, 1º dia (faltam 1459 dias)

Voltar às salas de aula da UFJF para mais 3 ou 4 anos de estudo deveria ser muito empolgante… mas, infelizmente, não é. Já conheço os jogos de poder, as fogueiras de vaidades do corpo docente e a inércia intelectual de uma enorme massa de acadêmicos que buscam apenas conseguir um diploma universitário com o menor esforço possível.

Depois de 2 graduações, de participar da política estudantil em diretórios acadêmicos e dos anos como bolsista de pesquisa, monitoria e extensão, a única coisa que me surpreenderia na aula de amanhã seria ver um professor entrar em sala, às 8h da manhã, dizendo a verdade aos calouros.

Malvados

Uma xícara de café vai bem com… Promoção!

Revista Espresso #27Nos próximos dias devo receber a edição número 27 da revista Espresso, uma das publicações que mais gosto e das poucas que ainda compro e guardo. Esta edição, dentre muitos outros assuntos, mostrará os testes feitos em máquinas de espresso domésticas e comentará os 10 melhores cafés do Brasil, premiados no Cup of Excellence, dando dicas de onde comprá-los. Com um novo exemplar publicado a cada 3 meses, a Espresso é leitura obrigatória para os apreciadores de café.

E é justamente para os apaixonados por café que ainda não conhecem a revista Espresso que escrevo este texto.

Tenho uma promoção para vocês!

Numa parceira com a livraria e cafeteria A Terceira Margem — uma espécie de segunda casa que tenho aqui em Juiz de Fora — consegui 5 kits, cada um com 3 revistas Espresso, para sortear entre os leitores aqui do blog.

Revistas Espresso

Para concorrer, basta deixar um comentário neste post completando a seguinte frase:

Uma xícara de café vai bem com __________________________.

As 5 respostas mais interessantes — escolhidas por uma comissão de sábios que vivem no alto de uma montanha — levarão os kits. Caso apareçam respostas iguais (ou muito parecidas), fica valendo a ordem de publicação dos comentários.

A promoção termina às 23:59 da sexta-feira, dia 12/03/2010, e o resultado sai na segunda-feira, dia 15/03.

_______________

Nota: Este NÃO É um post pago. Assim como no caso dos Molecos e Corrupios, não recebi dinheiro, brinde ou passeio de lancha para falar bem da revista Espresso ou da livraria e cafeteria A Terceira Margem. Nada contra o sujeito que concorda em ser pago para falar bem de um produto, mas eu só falo bem daquilo que gosto, uso e recomendo.

O pior restaurante em que já estive

Finalmente encontrei o lugar que, na minha opinião, representa o fundo do poço da culinária e do atendimento ao cliente em Juiz de Fora (MG): o Dom Quixote Bistrô (Av. Presidente Costa e Silva, 2215 – São Pedro). Se por um lado a ida até lá na noite de ontem estragou minha saída com a namorada, por outro me fez ficar feliz por saber que nenhum outro bar ou restaurante em que eu venha a entrar, pelo resto da vida, poderá ser tão ruim.

Se você mora em Juiz de Fora e pretende passar por lá, prepare-se:

1. Nem pense em “música ambiente”. Parece que, quando os donos não estão presentes, as funcionárias colocam pra tocar a música que mais gostam. Enquanto no MySpace do Dom Quixote Bistrô eles tocam “música alternativa” e anunciam que logo terão “um bom brazilian jazz *sax*guitar”, ao chegar lá ontem o que tocava mesmo era algum tipo de samba-pagote-não-identificado.

2. Não perca seu tempo pedindo o cardápio. Minhas 3 primeiras opções de refeição “estavam em falta” no momento. Acabei tendo que perguntar direto à funcionária o que tinha pra comer e beber. Ela, com cara de quem está de saco cheio, abriu a geladeira (que fica atrás do balcão) e me apontou as garrafas (ela não conhecia as cervejas… eu juro!).

3. Não perca seu tempo perguntando os ingredientes. As funcionárias não sabem ao certo de que são feitos alguns dos pratos. Enquanto me atendia, mascando e fazendo bolas com seu chiclete, a garçonete perguntava para a colega “o quê que levava mesmo” no tal quiche lorraine.

Esperimente4. Ignore os erros de português no material impresso. Nada muito sério. Basta tirar o “X” que, no cardápio, aparece no café expresso e trocar pelo “S” da plaquetinha que pede aos clientes para “esperimentar” o crock de presunto e quiejo.

5. Cerveja quente servida em taças não muito limpas. Não vou dizer nada… apenas vejam a das taças de cerveja que tinham acabado de ser servidas.

6. Quiche ou empadão? No cardápio estava escrito quiche lorraine (esse aqui, para os que não conhecem)… já o que veio no meu prato foi uma espécie de empadão duro e frio feito com queijo e algo que pareciam retalhos de presunto. A confusão com o quiche é tão grande que funcionária, na hora de emitir minha nota fiscal,  escreveu “empadão lorraine”.

7. Não interessa o que você pediu, os funcionários servem o que querem. Pedi um “sanduíche magro” feito com baguete (foto de uma baguete, pra quem não ligou o nome ao tipo de pão). O que me serviram foi isso aqui, num pão de forma. A desculpa? “Ah é… mas eu fiz esse porque não tinha mais baguete…”. (Detalhe: aquilo no meio do prato é um pedaço de pêssego… será que era pra eu fatiar e, com a alface, terminar de montar o sanduíche?)

8. O letreiro misterioso. Essa última eu deixo pra vocês decifrarem: uma foto do letreiro do Dom Quixote Bistrô, logo acima da minha mesa. Isso significa que, ao comer lá, você pode ter esses problemas? Ficar curado deles? São nomes de pratos que eles servem? Eles aproveitaram um antigo letreiro de uma farmácia? Respostas nos comentários, por favor.

Letreiro do DOm Quixote Bistrô

Vocês acham que não dá pra piorar? Calma que piora!

Alguns podem querer justificar dizendo que “funcionários são assim mesmo” e que “o olho do dono é que engorda o gado”.

Nada disso. O proprietário, que não estava presente quando eu cheguei, já se encontrava no bar havia algum tempo quando eu, tendo deixado taças cheias e a comida nos pratos, fui pagar a conta.

Com tudo isso, não é de se espantar que, em seu folheto, o Dom Quixote Bistrô (aliás, duvido que os donos tenham a mais vaga idéia do que é um bistrô) diga que “nasceu em Paris, passou por Portugal, Búzios, Cabo frio e agora se fixou em Juiz de Fora“. Se tivesse boa comida e bom atendimento, ainda estaria na França, ou em Portugal, ou em Búzios, ou Cabo Frio. Bons estabelecimentos abrem filiais ao invés fecharem as portas.

Enfim, peço aos juizforanos que, em prol da boa culinária e boa gastronomia, espalhem a notícia.

No mais, aguardo os comentários dos que decidirem passar por lá.

Dia Internacional da Animação em Juiz de Fora

Na próxima terça-feira, dia 28 de outubro, será celebrado em 51 países o Dia Internacional da Animação. A escolha da data tem a ver com o fato de ter sido neste dia, em 1892, que Émile Reynaud realizou a primeira projeção do seu teatro óptico no Museu Grevin, em Paris. Essa projeção foi a primeira exibição pública de imagens animadas (desenhos animados) no mundo.

Em Juiz de Fora, uma das 130 cidades brasileiras onde a haverá atividades relacionadas à data, serão exibidos filmes de animação no Museu de Arte Murilo Mendes a partir das 19h30. A lista com a sinopse dos 13 filmes da mostra nacional e outros detalhes do evento você encontra na página da Associação Brasileira de Cinema de Animação.

Quem não quiser esperar até o dia 28 pode ver, logo abaixo, a animação Rua das Tulipas, que fará parte da mostra.

Pra terminar, link do YouTube para Autour d une cabine, produzido por Émile Reynaud em 1894.


RSS Dois Espressos   Twitter Dois Espressos   Vídeos Dois Espressos   Fotos Dois Espressos
Músicas Dois Espressos   Links Dois Espressos   Locais Dois Espressos   GReader Dois Espressos
Facebook Dois Espressos   Livros de Dois Espressos   Corridas de Dois Espressos

Última corrida

Corridas

Fotos recentes

Mais fotos

Últimos Tweets

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Última nota do Moleco

" (...) Quanto a mim, a base de minha vida vai ser uma fazenda em algum lugar onde vou produzir parte de minha própria comida, e, se necessário, toda ela. Um dia não vou fazer coisa alguma além de sentar embaixo de uma árvore para ver minha lavoura crescer (depois do trabalho devido, claro) -- e beber vinho caseiro, e escrever romances para edificar meu espírito, e brincar com meus filhos, e relaxar, e gozar a vida, e brincar, e assoar o nariz. (...) Vou viver a vida do meu jeito 'preguiçoso coisa ruim', é isso o que vou fazer."

Diário de Jack Kerouac, 23 de agosto de 1948.
Molecos Viajantes

Últimos links del.icio.us